orthopedic pain management

Os maias realmente previram o fim do mundo?

Si Belle, La Science — By on janeiro 8, 2012 at 10:43

Todos nós temos a tendência a fazer previsões, geralmente ruins. Por exemplo, se você se atrasar para chegar em casa, sua mãe vai ficar preocupada e automaticamente vai supor que aconteceu algo (ruim) com você. Se o seu (sua) namorado (a) não telefonar, você já vai imaginar mil coisas e geralmente o pior. E é isso que muitos pseudocientistas fazem. Aproveitam-se disso para ganhar dinheiro.

A civilização Maia viveu na América Central e do Sul, aliás, ainda existem maias que habitam essa região. O motivo para o fim da civilização Maia ainda é um mistério, as teorias vão desde invasões, declínios ambientais, superpopulação, etc.

O calendário Maia se inicia em 13/08/3 114 a.C. Era um povo muito avançado na área da aritmética e da astronomia.  A contagem era feita por KAKTUNS que era equivalente a 3.125 anos e foi através de cálculos que chegaram a essa data tão “fatídica”.

Existiram três calendários Maias com ciclos e esse último é considerado o mais longo dos ciclos. Esses ciclos seriam equivalentes às nossas Eras, como Pré-História, Idade Antiga, Idade Média etc., só que no caso dos Maias era baseado em dados astronômicos.

O Professor Michael D. COL acredita que, se os Maias ainda estivessem vivos, a data de 21/12/2012 seria celebrada como se fosse um feriado. Porém, nem a história nem a ciência comprovam essas teorias.

Em nenhum momento está escrito que o mundo acabaria: muito pelo contrário, acabaria um ciclo e começaria outro. O motivo pelo qual não existe outro calendário pode ser diverso, não é porque não foi explicado histórica ou cientificamente que precisamos “achar isso ou aquilo”.

E é exatamente o que acontece com a teoria Maia relacionada ao fim do mundo. O que esses pseudocientistas fazem é lançar uma estória em cima da história, virando assim um conto de fadas, mas nesse caso com um final infeliz.

É incrível como ainda insistem em fazer previsões absurdas. Será possível que a memória dessas pessoas seja tão curta que não se lembram dos alarmes que foram feitos em 1997, 1999 e depois em 2000 com relação ao fim do mundo?

Os povos antigos não faziam previsões, mesmo Nostradamus, que dizem ter previsto algumas tragédias, nunca previu nada, o que foi feito é que pegaram trechos aqui e ali dos seus livros e os adaptaram para tragédias acontecidas, como foi o caso das Torres Gêmeas. E daqui a pouco estarão fazendo isso com relação à data do suposto fim do mundo, se é que já não o fizeram.

O fim do mundo um dia vai chegar, é fato! Um dia nosso Sol irá se tornar uma Gigante Vermelha e assim a vida será extinta na Terra, mas isso vai demorar alguns bilhões de anos. Acho que dá tempo de aproveitarmos bastante, não é?

Então, já que temos tempo suficiente, vamos aproveitar esse novo ano ou novo ciclo Maia, como preferir, para começarmos a ser menos alarmistas e mais céticos. Ao invés de acreditarmos em “qualquer tragédia”, vamos nos informar se o que está sendo dito tem realmente um fundamento. Assim, com certeza, seremos mais felizes.

Afinal, essa é a verdadeira busca da humanidade: FELICIDADE.

Então: um feliz ano novo, sem tragédias, para todos!

Tags: , ,

2 Comments

  1. jose alexandre balogh disse:

    Desejo a todos do INAPE feliz 2012 com efusivas congratulações a todos que ai trabalham , seu site é muito bom ! pergunto ? que é o homen finito e mortal p/ discutir tais questões do fim do mundo ? vendo seus videos maravilhosos em que a biblia é citada inumeras vezes !!! tudo que a biblia diz é verdade ; então antes que o fim do mundo ( morte) venha ; cuidemos de nossa alma :só Jesus salva ! isto é uma verdade absoluta !pensem com carinho . Obrigado por ler

    [Responder]

  2. Cibele disse:

    Obrigada a vc pelo elogio José Alexandre. O nosso intuito é divulgar a ciência, a crença de cada um deve ser escolhida com sabedoria. A questão não é pessoal pois o que queremos é que as pessoas saibam discernir o que é verdade e isso só conseguiremos com estudo e cultura. Obrigada e continue fazendo parte do Inape.
    Abraços
    Cibele

    [Responder]

Leave a Comment