Circuito Impresso de qualidade com baixo custo

Eletrônica — Por em junho 3, 2010 as 15:23

Produzir placas de circuito impresso por processo fotográfico é um sonho da maioria dos hobistas de eletrônica. O processo fotográfico sempre foi cercado de mitos e as poucas empresas ou pessoas que dominam alguma técnica exploram vendendo kits a preços elevados.
Este trabalho é resultado do aprimoramento e da adaptação de algumas técnicas já conhecidas, e da experiência em laboratório fotográfico e computação gráfica, e permitirá em poucos minutos, o preparo da placa e a confecção do fotolito para produzir placas com trilhas de até 0.20 mm, o suficiente para passar duas trilhas entre as ilhas dos terminais de um CI, e com qualidade que irá surpreender qualquer amador.

Exemplo das trilhas feitas por este processo com uma escala em mm:

Obs: Trilhas muito finas requerem o domínio desta técnica, comece com layouts mais básicos para não desanimar.

Diretrizes que guiaram o meu trabalho:

  • Não depender de produtos de apenas uma empresa fabrica e/ou que são caros e difíceis de encontrar.
  • Poder gerar o fotolito pelo computador e com impressoras jato de tinta de razoável qualidade e não depender unicamente de fotocópias laser.
  • Não depender unicamente do Sol para expor as placas e poder contar com uma fonte de luz alternativa eficiente e de baixo custo.
  • Poder executar todo o processo sem ter que sair de casa.
  • Ser de baixo custo.
  • Contrariando a tendência de muitos no Brasil, divulgarei totalmente a técnica após o sucesso dos testes.

Materiais e equipamentos necessários:

  • Computador e impressora com boa qualidade (eu uso uma HP 930).
  • Um software de confecção de placas de Circuito Impresso (recomendado).
  • Transparência para jato de tinta.
  • Placas virgens de CI.
  • Emulsão foto-sensível para Silk-Screen e respectivo sensibilizante ( 1 litro custa de R$15,00 a R$23,00 com o sensibilizante e tem validade para 2 anos). Pode ser encontrada em qualquer loja de produtos de serigrafia. Cola branca a base de PVA, lavável (tipo Tenaz lavável) também funciona bem e pode ser comprada em quantidade menor.
  • Pincel de pelo de lontra de 12 mm (pode ser encontrado facilmente em casas de tintas).
  • Rolo de espuma pequeno, 40 mm
  • Esponja Scotchbrite ou esponja de aço
  • Secador de cabelo
  • Duas placas de vidro um pouco maior que o tamanho da placa a ser feita
  • Fita crepe
  • Cola Super Bonder ou similar
  • Lâmpada halógena de 500 w ou 1000w com refletor. É possível usar o Sol caso não tenha a lâmpada.

O processo passo a passo:

Produzindo um bom fotolito:

Eu recomendo o uso de um software de elaboração de circuito impresso, pois produz a imagem da placa em modo vetorial, que independe de resolução e podem gerar traços muito finos com qualidade e sem os serrilhados causados pelos pixels dos arquivos de imagens convencionais ou “mapa de bits”, além de poupar o trabalho de capturar converter e tratar layout de outras fontes.
Em muitos casos compensa transcrever o layout de uma revista ou internet para o software de circuito impresso, pois permitirá uma qualidade maior e facilidade para editar. Existem vários softwares de circuito impresso que têm versões grátis ou limitadas, mas que permitem gerar e imprimir a imagem do layout . Tente baixar com algum software P2P o PCBWizard versão 2.6 que é uma versão beta porém funcional ou a versão 2.7 . O ‘Ares Lite’ também é um bom programa e permite gerar o layout.

Impressão e montagem do fotolito:

Deve se ter o cuidado de imprimir o fotolito invertido (fundo preto e trilhas brancas) e espelhado (visto pelo lado dos componentes). Os softwares de CI já têm este recurso para impressão, mas se o layout vier de outra fonte preste atenção na orientação correta e faça a inversão com o software de imagem que costuma usar.

Imagens do layout após a impressão em transparência:

Uma deficiência que percebi na impressão das transparências por jato de tinta é que o preto não ficava opaco o suficiente para uma foto-impressão adequada, e este era o principal ponto fraco do processo.

Apelando para um processo semelhante ao que é usado em algumas técnicas fotográficas, para aumento de contraste, consegui corrigir esta deficiência. A solução consistiu em sobreporem duas ou três imagens até conseguir a opacidade necessária.

Diferentes tipos de transparências e impressoras darão resultados diversos e é bom testar várias combinações e escolher a que proporcionar o preto mais carregado e opaco. Usar resolução fotográfica também não deu bom resultado na minha impressora, deixando a camada de tinta mais fina e transparente. O melhor resultado foi obtido com as transparências da HP que têm a camada de gelatina levemente fosca, o que deixou a tinta mais opaca de que as transparências lisas e usando resolução para papel comum e no modo “ótimo”.

Seque bem a impressão com o secador de cabelo tomando cuidado para não esquentar muito e empenar a transparência. Corte as imagens deixando 0,5 cm de margem, manipule as transparências pela borda para não manchá-las. Sobreponha duas imagens sobre um fundo claro e iluminado e ajuste até que as imagens estejam coincidentes, cuidadosamente coloque uma pequena gota de cola Super Bonder entre as bordas de um dos lados das transparências e faça uma pequena pressão com os dedos. Ajuste a imagem do outro lado e vá colando dois ou três pontos de cada lado, cuidando para que tudo fique bem plano, faça o mesmo com a terceira imagem.Após o empilhamento estará pronto o fotolito de alto contraste.

Montagem do fotolito com três imagens:

Testando o fotolito:

O meu teste de opacidade do fotolito é feito olhando, através da parte preta do fotolito, para uma lâmpada de 60w (daquelas brancas), distante uns 5 cm, até que não seja possível ver o contorno da lâmpada através do preto, ou que fique bem atenuado.

Teste de opacidade:

Com uma imagem vê-se perfeitamente a lâmpada Com três imagens obteve-se uma opacidade adequada

Como eu havia proposto, o processo não deveria depender apenas de cópias laser e poderia ser feito todo sem sair de casa, porém se desejar poupar o trabalho de fazer este sandwich de transparências imprimia em papel de boa qualidade e mande fazer cópias a laser em transparência e peça para carregar bastante no toner. Aqui na minha cidade ainda não consegui quem faça essas cópias laser com bastante toner e depois de jogar algum dinheiro fora com copiadoras que só querem economizar toner, acabei desistindo das cópias laser.

Preparo e sensibilização da placa:

Corte a placa pelo menos 1 cm maior que o layout já que a distribuição do sensibilizante nas bordas não fica muito regular .
Limpe bem toda a superfície da placa com a scotchbrite do lado verde ou esponja de aço, lave com detergente, após enxaguar não toque mais na superfície da placa e seque-a bem com o secador de cabelo.
Prepare a emulsão em um local com iluminação fraca e indireta, não é necessário ficar na escuridão e mesmo uma luminária de mesa com uma luz fraca e voltada para outro lado não afetará a emulsão.
Use 5 gotas de sensibilizante para cada 3ml de emulsão (meia tampa de garrafa pet). Eu utilizo um tubo plástico de remédio em gotas para dosar o sensibilizante, já que ele não vem em frasco com gotejador. Veja abaixo:

Obs: Os sensibilizantes são tóxicos e devem ser manuseados com cuidado.

Com cola tenaz use duas gotas de sensibilizante. Isso dá para uma placa de 15x15cm ou mais. Misture bem e devagar para não fazer muita bolha. Aplique a emulsão na placa com o pincel fazendo movimentos contínuos de um lado ao outro para não ficarem marcas de pinceladas no meio da placa. Vá distribuindo mais emulsão até que fique uma camada homogênea por toda superfície. A camada de sensibilizante deve ficar ligeiramente grossa para que fique mais resistente e não saia no momento da corrosão. É possível fazer a aplicação em duas camadas, aguardando a primeira secar e aplicando outra. Isso garante uma melhor distribuição do sensibilizante.

Ainda no ambiente escurecido seque bem a placa com o secador de cabelo no calor médio, cuidando para não aquecer demais, pois o sensibilizante é sensível ao calor e também pode levantar bolhas. O ideal é a secagem lenta em local sem iluminação e bem ventilado. Tenho usado o secador de cabelos para apressar o processo, mas isso pode acarretar alguns problemas já que o calor pode reduzir a ação do sensibilizante. A pressa é o grande inimigo deste processo.

Pegue o fotolito e coloque sobre a placa preparada com a tinta voltada para a placa.
Coloque a placa com o fotolito entre os dois vidros e use presilhas ou fita crepe para prendê-los firmemente sem obstruir a face do circuito.

Fotolito pronto para a foto-impressão:

Agora poderá acender a luz do local e proceder à foto-impressão:

Eu utilizava uma lâmpada halógena de 1000w do tipo usado em filmagens e expunha a placa por 1 minuto à distancia de 40 cm. No Sol forte do meio dia o tempo será de três minutos aproximadamente, porém o Sol varia conforme a condição atmosférica e o horário e aí só a experiência irá determinar o tempo correto, por isso gosto de usar luz artificial porque, além de funcionar a qualquer hora, terá sempre o mesmo tempo de exposição. Depois de exposta a placa pode ser retirada do vidro e o fotolito removido cuidadosamente. Tome cuidado para não expor a placa sem o fotolito à luz forte por muito tempo, pois a emulsão entre as trilhas ficará endurecida e não sairá na revelação.

Abaixo está a foto da mesa de luz que montei a partir de uma lâmpada halógena de 500w com refletor, do tipo usado em jardim e que custa de R$30,00 a R$35,00 e pode ser encontrada em lojas de material elétrico. A exposição com esta lâmpada é de 3 minutos a uma distância de 35 – 40 cm

Obs. Atualmente tenho usado apenas esta lâmpada de 500 W e recoloquei o vidro frontal que eu havia removido, pois o vidro ajuda a bloquear o calor emitido pela lâmpada favorecendo a correta impressão do fotolito na placa.

Revelação da placa:

Coloque a placa em uma vasilha com água, observe como a emulsão que não foi exposta vai embranquecendo:

faça movimentos suaves com o rolo de espuma mantendo a placa sempre molhada…

Vá verificando se existe resíduo de emulsão entre as trilhas e após a remoção de todos eles, a placa já pode ser enxaguada cuidadosamente com mais água limpa (evite colocar debaixo da torneira, pois o jato poderá remover trilhas)…

Seque muito bem a placa com o secador de cabelos e verifique em uma luz forte se está tudo certo. Pequenos reparos nas trilhas podem ser feitos com caneta de retro-projetor antes da corrosão. Uma dica que ajuda a endurecer a emulsão para que não saia na hora da corrosão é passar um algodão embebido em sensibilizante puro sobre as trilhas depois de reveladas e secas, depois enxágüe, exponha à luz forte e deixe secar bem antes de corroer.

Quando a foto-exposição da placa foi correta, a revelação em água ocorre rapidamente e a emulsão que não recebeu luz dissolve com bastante facilidade não levando mais que um minuto estar revelada e mais uns dois ou três para remover os resíduos mais difíceis. O uso de um rolo de espuma ao invés de esponja, para a lavagem na revelação ajuda a preservar as trilhas. Diferente da esponja que inevitavelmente produz muito atrito lateral, aumentando bastante a chance de descolar algumas delas, o rolo de espuma além de limpar bem os espaços entre trilhas, pressiona-as contra a placa reduzindo a chance de danificá-las.

Se a emulsão sair toda, inclusive as trilhas, é porque faltou exposição à luz e se não dissolver com facilidade é porque teve excesso de luz e ficou polimerizada (insolúvel). Neste caso limpe a placa e comece novamente.

‘A prática leva à perfeição’

Placa depois da corrosão:

Para proteção e acabamento eu costumo polir as trilhas com um pouco de massa de polir e uma flanela, depois limpo com álcool os resíduos do polimento, seco bem e aplico uma camada de verniz transparente (desses em spray). Uma fina camada de verniz protege contra a oxidação e não atrapalha a soldagem. Depois de seco o verniz proceda à perfuração.

Teste feito com a imagem de uma fotografia previamente convertida em preto e branco padrão litográfico ou estampa (somente preto e branco e sem meio tons), e corrosão parcial do cobre.

Boa sorte

Tags: , ,

139 Comentários

  1. Guilherme Matsumoto disse:

    Opa ótimo tutorial, desculpe, nunca fiz placa de CI e fiquei com algumas dúvidas:
    1. No trexo onde vc diz “Com cola tenaz use duas gotas de sensibilizante.” Eu coloco quanto de cola? a cola vai junto com a emulsão ou uma outra mistura separado? caso seja separado eu passo primeiro a cola+sensibilizante ou primeiro emulsão+sensibilizante?

    2. Para a corrosão eu uso o que e onde consigo?

    Desculpe se estou fazendo perguntas “estúpidas” mas realmente sou um virgem nesta área e Parabéns mais uma vez pelo excelente tutorial.
    Abraços

    [Responder]

    Leocádio Benez Neto Resposta:

    A cola tenaz é uma alternativa à emulsão, não é para juntar as duas.
    A quantitade referida é meia tampinha de garafa pet (+- 3 ml).
    A corrosão é pelo método comum usando solução de percloreto de ferro. A venda nas casas de material eletrônico.

    [Responder]

    Toninho Resposta:

    Como você faz para a emulsão não sair na hora da corrosão?
    Quando a corrosão é iniciada a emulsão é destaca da placa de cobre.

    Todo o trabalho é perdido.

    [Responder]

    Gabriel Resposta:

    Eu prefiro o letraset, as cartelinhas trasnferiveis, são rápidas, baixo custo e o acabamento fica perfeito. Abraço!

    [Responder]

    andre freirte Resposta:

    Sinceramente…. o melhor método no mundo para ser fazer PCI
    vai ser por muito tempo a SERIGRAFIA

    [Responder]

    talis Resposta:

    gostaria de saber se a emulsao usada é a base de água ou solvente?

    [Responder]

  2. Marcos Antonio disse:

    Com cola tenaz use duas gotas de sensibilizante… Meu querido amigo, eu não entendi isso, é pra usar cola mesmo, tenaz?

    [Responder]

    WilsonRS Resposta:

    É simples.Ele estás dizendo para usar a cola no lugar da emulsão foto-sensível que é muito mais barata.Então compre só o sensibilizante,ok?

    [Responder]

  3. Adamárcio disse:

    Prezado professor, gostaria de saber se a emulsão fotossensível que você usa é verde ou azul? Pois usei a verde como você fez em um de seus processos e ela saiu toda juntamente com o acido!(precloreto de ferro).
    Por favor me responda… se fiz algo errado!

    [Responder]

    Leocádio Benez Neto Resposta:

    Problema das trilhas saírem pode ser por vários motivos:

    – Residuos de gorgura ou óleo na placa.
    – Pouco sensiibilizante.
    – Pouca exposição à luz.
    – Excesso de atrito na lavagem.

    Repita o processo siga as instruções com atenção.
    Existe um liquido para desengordurar as telas de silk screem que pode ser usado para limpar a placa. Alguns detergentes contém amaciante e hidratantes que são a base de óleos e irão atrapalhar a aderência da emulsão.

    [Responder]

    Adamárcio Resposta:

    mas eu limpei com bombril e sequei com secador, pode ser isso mesmo ou porque, eu uso lampada halogenia 500 wt deixo 5 minutos a uma distancia 35cm da mesma ,ai levo ela na revelação bacia com agua espero 30 segundos pra limpar com rodinho ai eu seco com secador e pois ela na lampada de novo pra secar 3 minutos ai espero esfrear ponho no acido ai ela sai tudo
    ,minha emulsao e genises e verde, o ta errado, sera q tem hora pra fazer as placas?

    [Responder]

  4. pedroctm disse:

    3 semanas tentando e não consegui nada ainda. O material é exatamente o mesmo da foto, inclusive o secador é idêntico (RSRS), mas não consegui ainda. Já se foi meio frasco de sensibilizante e 1/3 de emulsão

    [Responder]

  5. Ismael disse:

    E depois com qual produto será preenchido as trilhas???? Obrigado…

    [Responder]

    Roberto Resposta:

    Botox (atoxico) ou tenaz

    [Responder]

  6. Evaldo disse:

    Leocádio
    Parabéns pelo ótimo tutorial, e também por ter disponibilizado na net.
    Vou seguir os procedimentos para ver como fica.
    Minha duvida é que quando vc estava tirando a emulsão da placa algumas trilhas parecem um pouco esbranquiçadas, é assim mesmo, ou devo reforçar essas trilhas com caneta.
    Parabéns mesmo.

    [Responder]

  7. Já viram esse processo? http://www.youtube.com/watch?v=_O8CX2F3mzU

    [Responder]

    jorge dentinho Resposta:

    ola amigos alguem pode me ajudar com esses processo de confecção de cI MEU MSN E STUDIOLIST@HOTMAIL.COM ESTOU AGUARDANDO

    [Responder]

  8. Juliano disse:

    O tópico é muito bom. Qual software vc recomenda para confeccionar placas?
    Obrigado!

    [Responder]

  9. Adalto disse:

    Parabéns pelo tutorial, eu já fiz uma vez uma placa pelo processo parecido com o seu e ficou bom, mas tem que se dedicar e ter paciência, como vc mesmo diz a pressa é inimiga deste trabalho.

    Aproveitando como eu faço uma matriz na tela para passar direto para placa???

    Abraços e Parabéns novamente tuto muito útil.

    [Responder]

  10. lorival disse:

    o processo é bem descrito, já o material nem tanto hehehe.
    tenho exatamente este material, ja a emulsao é genezis tambem, mas este aqui é azul claro, levemente puxado para o verde, e é resistente a agua, existem emulsao a base dàgue e a base de oleo. qual vc utiliza?
    eu fazia no processo termico que é imprimir em papel fotografico e passado com o ferro para a placa, comprei o material e tentarei fazer com esse acima descrito..
    excelete tutorial, assim que tiver algo pronto, colocarei aqui…

    [Responder]

  11. altair disse:

    gostei muito bem explicado valeu amigo

    [Responder]

  12. Bruno disse:

    otimo esse tutorial, me ajudo mto !!

    [Responder]

  13. André Vicentin disse:

    Parabéns Excelente trabalho.

    [Responder]

  14. Juliano disse:

    Amigo, parabéns pelo material.
    Não consegui reproduzir e não sei onde estou errando.

    Fiz uma mistura de 1,8ml de Emulsão para 0,2ml de sensibilizando (9 para 1-fiz com seringa a medida).

    -Limpei bem a placa, com bombril e passei a mistrura 1 camada. Coloquei na frente do ventilador em um quarto escuro por 15 minutos.
    -Passei mais uma camada e mais 15 minutos secando.
    -Coloquei a transparencia sem o vidro e deixei a 35 CM de uma lampada incandencente de 100W.
    -deixei 30 minutos;
    -Quando tirei a transparencia dava para ver onde ia corroer em verde bem claro e onde ficou exposto a luz em verde bem escuro.
    -fui lavar mas nada saiu da placa… esta tudo grudado na placa….Não consigo remover o verde clarinho que era para sair.

    Onde estou errando?
    Se puder me ajudar,
    Abraço
    Juliano

    [Responder]

    J. Marcos Resposta:

    Seu erro pode ter sido muito sensibilizante, ou muito tempo exposto na luz, eu uso duas lampadas de 100w, deixo 8 minutos e fica perfeito.

    [Responder]

  15. renato pena disse:

    bom, quebrei q cabeça aqui e nada deu certo,não entendi o lance do tenaz,da cor verde ,azul, roxo de raiva que tou,bem mas mesmo assim agradeço pelo tutorial,ou devo dizer receita medica, que ninguem entende nada, bom ,para quem gosta de perder tempo e dinheiro é um prato cheio, ate+

    [Responder]

    Lauro Resposta:

    Vaiii troxa

    [Responder]

  16. Mário Guerreiro disse:

    Olá Amigos:
    Gostaria muito de fazer fotogravura ou Zinco gravura mas não cosigo.
    Quando meto a placa de aluminio no acido as letras saltam fora.
    Já fiz com Impersora a Lazer já fiz com tinta e as letras saltam sempre fora.
    Se algem me poder ajudar agradeço.
    Cumprimentos,
    Mário Guerreiro

    [Responder]

    J. Marcos Resposta:

    Se você está falando de eletrocorrosão, use cera de abelha ou carnaúba no metal.

    [Responder]

  17. Alberto disse:

    Bom dia de ótima informação prestada neste tutorial
    Bem gostaria de saber se ao secar com o secador de cabelo devemos secar a emulsão secar e não apresentar resquício de umidade.

    [Responder]

  18. Jefferson Masutti disse:

    Bom dia a todos,

    Gostaria primeiramente de agradecer ao Sr. Leocádio Benez Neto que teve a capacidade de criar um post tão bem formulado como este. O crescimento consiste em compartilhar o conhecimento e você está no caminho certo.

    Aproveitando o post, gostaria de informar que se alguem não conseguiu efetuar o processo é porque não seguiu todos os passos ou porque comprou material de má qualidade, pois o procedimento é exato.
    Consegui construir 3 placas de grande desnidade seguindo exatamente os passos acima.

    Funciona SIM, e desafio quem disser que não funciona a criar um passo a passo melhor ao invéz de criticar este mesmo que a culpa do não sucesso seja de sua incapacidade. É facil criticar o que os outros fazem, dificil é fazer!

    Parabéns Sr. Leocádio Benez Neto e muito obrigado pela ajuda!

    [Responder]

    Danilo Resposta:

    Boa noite Jefferson
    Gostaria de saber qual marca e tipo (ou cor) de emulsão vc usou para fazer o procedimento (no texto do Leocádio uma hora é azul e outra é verde, não entendi), pois a que eu usei sairam algumas trilhas na revelação.
    Fiz o procedimento da maneira como descrita no texto: lampada 500 W a 40 cm, 3 min, fotólito com 3 camadas, meia tampinha pet com 5 gotas de sensibilizante.
    Obrigado

    [Responder]

    Jefferson Masutti Resposta:

    Boa tarde Danilo,

    Eu utilizei o azul, o correto é verificar com a loja de serigrafia que você visitou qual é a melhor opção para este tipo de aplicação. Quando eu chegar em casa, verifico a marca e modelo da emulsão e do sensibilizante que usei.
    Lembre dos passos importantes:
    -Passar uma camada fina da emulsão
    -Utilizar luz vermelha(eu usei uma fluorecente vermelha da empalux que achei em uma loja de mat. de construção. Cassol.
    -Secar até perder o brilho antes de iluminar
    -Prensar bem um bom fotolito antes de iluminar (3 ou mais camadas se possível)
    -Iluminar tentando evitar o aquecimento por 3 minutos com uma lampada ALOGENA de 500W
    -Retirar a parte não sensibilizada com rolo de pintura e água.

    É importante lembrar que a quantidade e o tipo do sensibilizante a ser utilizado varia de acordo com o tipo de emulsão.
    Outra que lembro que me indicaram é a Decafilm PA com o sensibilizante DIAZO. Este é usado para uma maior resolução mas não sei dizer se pode ser removido com água.
    Vou verificar a marca que usei e logo posto aqui.

    Abraço.

    [Responder]

    Alex Henrique Resposta:

    Eu também já testei essa Decafilm PA, e com o mesmo sensibilizante DIAZO; Eu já misturei tudo no mesmo pote. O produto funciona bem, exceto o fato que se forma um Véu na placa inteira, por cima do cobre. Com alcool depois de seca sai o veu, mas dai depois se dissolve no percloreto.

    BRUXO Resposta:

    Concordo com todas as letras. Estes idiotas são completamente tapados e não sabem manusear os produtos, nem seguir a sequencia correta e ficam malhando o cara que fez um post absolutamente didatico. Se estes umbecis não conseguem fazer a placa que dirá monta-la e faze-la funcionar… Vão chupar prego que é com certeza bem mais fácil para voces…

    [Responder]

  19. Jefferson Masutti disse:

    Alberto,

    É preciso secar completamente antes de aplicar luz.

    [Responder]

  20. Jefferson Masutti disse:

    Mário Guerreiro

    O excesso de sensibilizante faz com que a cola não de boa aderencia e as letras saem inteiras.
    Já a falta dele ou a pouca exposição à luz faz com que as letras se dissolvam.
    Tente tambem utilizar outra marca de emulsão.

    [Responder]

  21. Elviston disse:

    Oi se for possivel me envie todo o conteudo pois não conssegui ver todas as fotos.

    [Responder]

    Gustavo Moretti Resposta:

    Enviamos o artigo por E-mail, em formato PDF.

    [Responder]

  22. Fabio disse:

    Nas fotos inciais vc mostra um a emulsão roxa (solvente da genessis) mas abaixo aparece verde (a base de agua) qual a correta?

    [Responder]

  23. francisco disse:

    Existe uma tinta propria para circuito impresso fotossensivel, e que substitui a tecnica da emulsao com vantagem pois, tem alta definiçao e pode ser usado a soluçao de corrosao com peroxido de hidrogenio e acido muriatico sem o problema de soltar da placa. easypcb.lojavirtual.maxihost.com.br

    [Responder]

  24. Marcos Moreira disse:

    Excelente o trabalho do Sr. Leocádio Benez Neto… Já havia feito placas com caneta e fica ruim e dá muito trabalho. Este formato que ele ensinou é excelente. Para os críticos de plantão (existem em todo lugar) peço paciência e atenção, pois foi dito que o caminho era estreito e não largo! rsrsrsrsrs. Vou fazer e quando obtiver êxito comento por aqui…

    [Responder]

  25. Clayton A. Benevides disse:

    Experimente girar a placa com uma furadeira para uniformizar a emulsão aplicada. Eu faco isso e o resultado é uma emulsão muito uniforme.

    Bom trabalho.

    [Responder]

  26. Marcos Moreira disse:

    Bom, após a prática, algumas dificuldades iguais aos demais. Porém é incrível como funciona bem. Vale a pena utilizar o método. O aprimoramento deve ser praticado. na segunda tentativa, 50% da placa ficou com as trilhas corretas, tive que corrigir alguns pontos. Mas tenho certeza que o aprendizado levará a melhorai da qualidade. Parabens Leocádio.

    [Responder]

  27. Alan disse:

    Sei que muitos gostam de fazer placas de circuito impresso por hooby, mas hoje fica muito barato mandar fabricar em empresas especializadas principalmente quando se precisa de quantidade um pouco maior ou de qualidade. http://www.circuitoimpresso.com

    [Responder]

  28. As minhas impressões em transparencia ficam verdes, quase tranparentes e não pretas como deviam ficar, porque?
    Sera que é por causa do cartucho não original?

    [Responder]

    Ricardo Resposta:

    Alvaro… Vc deve estar usando o cartucho colorido para formar a cor preta… Tente fazer utilizando o cartucho só com tinta preta…

    [Responder]

  29. Fabio disse:

    Tambem estou tentando fazer as placas com este método da emulsão, mas solta da placa na hora da corrosão.(Já fiz umas 40 vezes mudando concentração e etc).
    Estou usando emulsão verde solúvel em agua da Saturno, e sensibilizante da saturno tb.(OBS: A umulsão pura fica quase insolúvel depois de exposta, resolvi isto diluindo com uma ou duas gotas de agua, na hora de preparar a solução.)A revelação fica perfeita, o problema é apenas a corrosão. Ví um comentário de um outro colega em outro forum que: depois de revelada e bem seca, deve-se aquecer bem a placa por alguns minutos para “queimar” a emulsão, para que não solte na hora da corrosão. Deixar bem perto da halógena por alguns minutos e depois de fria manda o percloreto. Farei o teste amanhã e se funcionar falo pra vcs.

    [Responder]

  30. Fabio disse:

    O teste de aquecer bem a placa depois de revelada funciona, nenhuma trilha saiu durante a corrosão.
    Deixei a placa no sol durante umas 4 horas encima de uma telha em um dia de sol forte e as trilhas ficaram super duras. Tambem comprei uma solução de percloreto nova, pois a minha já estava saturada e bem aguada.

    [Responder]

  31. Lourival P. Ramosè disse:

    É muito bom e mais pratico. Eu queria saber se vocês tem esse curso em DVD pra vender. Se tiver me envie o preço e como adquirir. Obrigado e tenha uma ótima tarde. Meu ed. é lourival.pr@hotmail.com.

    [Responder]

    Gustavo José Moretti Resposta:

    Caro Lourival, agradecemos pelo seu contato, mas infelizmente nós não temos este material em DVD.

    [Responder]

  32. Silvio disse:

    Leocadio…Excelente as suas informações.
    Gostaria de acrescentar uma dica para alinhar duas ou mais transparências.
    Coloque a transparência sobre uma placa de Isopor….Com um alfinete, faça dois furos sobre dois pontos de referencia…
    Faça o mesmo processo em todas as transparencias que irão formar o sanduiche.
    Após….Recoloque todas as transparencias em dois alfinetes……Pronto, élas estão alinhadas.
    Agora é só aplicar cola para uni-las.
    Depois de seca, retire os alfinetes.
    Parece complicado…..Mas é muito simples.
    Sds
    Silvio

    [Responder]

  33. Saul Britto disse:

    Já tentei e obtive sucesso até a hora de corroer, quando mergulho no percloreto o material sai todo!!!

    [Responder]

  34. césar disse:

    Ola! muito boa sua demontraçao!!!,essa eu nao sabia ainda, eu uso o método térmico com papel fotografico impresso na laser, ams é muito demorado, olha to com ideia de adaptar uma impressora epson STYLUS T25 para imprimir direto na placa virgem, pois éla usa a tinta durabrite, que nao sai na agua e nem no ácido percloreto, que vc acha???.
    abraço…

    [Responder]

  35. Romualdo disse:

    Concordo com o Cesar: porque nenhuma indústria teve a idéia de fazer uma maquina que imprime diretamente na placa? Acredito que quem tem a capacidade de fazer, não sabe que tem milhares de pessoas no mundo dispostos a pagar bem pela maquina ou pelo uso. VAMOS NOS UNIR E CUTUCAR OS FABRICANTES!!!

    [Responder]

  36. Icaro disse:

    Obrigado por divulgar a técnica. É uma atitude nobre e rara neste meio. Parabéns pela qualidade do tutorial. Se obtiver sucesso ou conseguir melhorar alguma etapa divulgarei. Um grande abraço.

    [Responder]

  37. José Leandro disse:

    Ótimo trabalho, o seu! Parabéns!

    [Responder]

  38. Gilson Domingues disse:

    Em primeiro lugar Leocádio parabéns pela matéria e pela generosidade em compartilhar a técnica. Já experimentei muitas técnicas de prototipagem e é mesmo uma atividade difícil e frustante e creio que nossos colegas para atingir sucesso vão ter que ter um pouco mais de paciência, pois pesquisa é assim. Desde de 2005 venho tentando usar a técnica com fotosensibilizantes, cheguei a comprar um kit que não deu nenhum resultado. A experimentação com emulsão de de silk veio nessa época e junto com um amigo técnico (Fernando dos Santos) conseguimos alguns resultados interessantes de onde pudemos compartilhar algumas dicas:

    – Experimentamos a Emulsão Saturno, na cor verde (é para fazer tela de silk para tinta à base de água, fica mais resisitente à agua do percloreto).

    – Adicionamos um pouco de cola PVA (cola branca) na mistura. Na última vez adicionei tinta acrilica (para pintura de quadro) na proporção de 1 parte de tinta para duas de emulsão. O tubo custa cerca de R$3 a R$4, é dá para produzir muitas placas. A vantagem da tinta é que depois que seca fica um filme plástico que demora bem mais para dissolver.

    – Esquentar a solução de percloreto ajuda bastante, percloreto ativado pelo calor dimunui o tempo de exposição da emulsão à àgua. Usei uma cafeteira antiga com um pote de azeitona (esquenta a agua de forma gradativa e uniforme sem o risco de estilhaçar o vidro), primeiro esperamos a solução esquentar, durante alguns minutos (quando estiver morno e se detectar vapor saindo já esta bom).É legal agita a placa durante o banho.

    – Fiz um truque que deu um resultado bom. Ao terminar a revelacao da placa, colocando mais sensibilizante e expondo a luz, aqueci a placa com o secador de cabelo, assim toda a água da solução seca deixando a parte da emulsão forte e dura como um esmalte.

    Trabalho com produção em pequenas quantidades e escala de placa de circuito impresso, também vendo placas como arduino e Gogo Board e kits para montagem: inventanikits@gmail.com.

    Este problema da emulsão sair acontece por causa da agua que dilui o percoreto, ela dissolve a emulsao, por isto é ideal nao usar emulsao para tinta a base de solvente(ela dissolve com àgua) e sim emulsão para tinta a base de água (resiste mais ao banho de percloreto), a que andei experimentando é a Saturno (na cor verde). O Fernando dos Santos, um excelente técnico e um amigo muito persistente testou variações, adicionando cola PVA, para aumentar a força da emulsão. Outra solução adotada

    [Responder]

  39. Hugo disse:

    Qual o papel que é utilizado?

    [Responder]

  40. Icaro disse:

    Funcionou maravilhosamente bem. Consegui passar uma trilha entre os terminais de um circuito integrado. Utilizei emulsão da marca Genesis na cor verde.

    Não encontrei nenhum problema no momento da corrosão (as trilhas polimerizadas ficaram bastante aderidas ao cobre durante todo o processo). Assim que terminei de lavar a placa, logo antes de mergulhar em percloreto de ferro, sequei-a com um secador de
    cabelos.

    A única coisa que realmente tem incomodado é a substância gelatinosa que aparece durante a corrosão. Este véu gelatinoso causa dois grandes problemas: retarda o processo de corrosão e o torna não uniforme.

    Se tentamos remover todo o véu antes da corrosão, corremos um grande risco de descolar as trilhas polimerizadas. Se alguém conhecer uma emulsão que forme menos véu seria ótimo.

    [Responder]

    J. Marcos Resposta:

    O véu você pode tirar usando um bombril mesmo, mais antes queime a placa na luz e depois na pistola quente,ok só depois de fria vc passa o bombril que as trilhas sai. outro problema que todos tem aqui é quando mergulha a emulsão no ácido, ela sempre sai. arrumei um jeito de resolver isso, passando na pci virgem uma mistura de bréu com thinner, só passe uma camada bem rápido depois passe o secador até evaporar o thinner. depois de fria coloque emulsão em cima da pci. espera secar e pronto, já pode revelar no fotolito, depois lave, e depois passe o secador no ar menos quente. coloque na luz por mais 10 minutos, depois passe um contonete na trilhas para tirar o breu, já que breu não derrete na água , use thinner no contonete. agora está pronto para jogar no ácido. obs mesmo que a amulsão saia no ácido não tem problema , porque o breu tbm gravou as trilhas, e o ácido não come o bréu. blz

    [Responder]

    cgossi Resposta:

    Realmente isso também acontecia comigo de ficar uma parte gelatinosa e de corrosão demorada. Para resolver isso, após a passada do rolo, removendo toda a parte indesejada, deixe a somente a placa (nem precisa mais dos negativos impresso) sob a luz forte por mais uns 10 minutos, porque daí a trilha ainda com a emulsão e fotosensibilizador vai ficar muito mais dura e não vai sair facilmente. Dessa forma, após os 10 minutos finais, dá até pra lavar a placa para retirar a substancia gelatinosa (que é da emulsão e ainda vai estar lá, embora fique transparente). Lavando a placa, vai sair tudo menos as trilhas e a corrosão vai numa boa. Fica tão duro que após a corrosão é necessário um bombril para descobrir as trilhas. Abraço

    [Responder]

  41. Lucas disse:

    Pode ser utilizado uma lâmpada de 50 watts ao invés do recomendado?

    É essencial o refletor na lâmpada?

    Obrigado

    [Responder]

  42. Valdir disse:

    Boa tarde, você poderia enviar-me a relação de material, e onde comprar?

    Desde já agradeço

    [Responder]

  43. Michelle Novaes disse:

    Muito bom! Adorei este artigo, está de parabéns! Procurei por fornecedores de serigrafia e encontrei um monte de empresas e produtos bastante interessante no site da http://www.nei.com.br tem desde as placas como também as lâmpadas direto do fabricante ou seus representantes.

    [Responder]

  44. Issao Torii disse:

    Hoje já dispomos de emulsões ultra precisa ,facil de
    obter trilhas como fio de cabelo .Secagem com ar quente do tipo secador de cabelo ,exposição na luz UV
    solar,revelação em água levemente alcalina .

    [Responder]

  45. Jairo disse:

    Valeu!!! Ótimo!!!! tutorial, muito bom mesmo me ajudou e muito, nunca tinha conseguido fazer um circuito impresso com tanta precisão fiz algumas adaptações e continuo aperfeiçoando essa técnica, se quiser depois eu posto os melhoramentos explicando como consegui melhorar um pouco a técnica, sebem que, só com esse tutorial já fica show de bola. Parabéns!!!

    [Responder]

  46. Paulo Alves disse:

    Preciso de alguém que faça umas placas para mim. Se souberem de alguém que faça, fico agradecido. Desde já, agradeço. Seu trabalho é muito bom!

    [Responder]

  47. Oziel disse:

    Parabéns pela qualidade do tutorial (muito detalhado e didático) e pela sua atitude de disponibilizar esse material de forma gratuita, possibilitando o acesso de muitos ao conhecimento de um tema tão interessante como o da confecção de PCI’s.
    MUITO OBRIGADO!!!!

    [Responder]

  48. Marcelo disse:

    Por meio desse tutorial obtive sucesso na criação de minhas placas. Aprendi uma coisa que gostaria de compartilhar. Depois de passar o pincel com a mistura, ficam alguns riscos e imperfeições que dão trabalho. Basta colocar a placa sobre um papel e usar o papel para vibrar a placa, levantando o papel e dando pequenas batidas na mesa, dessa forma a mistura vai se acomodado e facilmente fica bem dividida.
    Ótimo tutorial!
    Meus parabéns!

    [Responder]

  49. cgossi disse:

    Uma dica muito útil que vai ajudar muita gente e garantir mais perfeição durante a corrosão. É o seguinte, assim que passar o rolinho para eliminar a parte indesejada, deixe a placa sem o negativo impresso por mais uns 10 minutos sob a luz forte, porque a trilha que se deseja que permaneça irá ficar muito mais dura e não vai sair no momento da corrosão. Gostei da dica do Marcelo quanto à vibração da placa, pois realmente ficam riscos quando se passa com o pincel. Abraço

    [Responder]

  50. Tudo certo meus amigos, mas a dica anterior de http://www.youtube.com/watch?v=_O8CX2F3mzU é imbatível.

    [Responder]

  51. Thyers Alves disse:

    Gostaria muito que me tirase uma duvida sobre a placa de circuito impressa que eu fiiz, em relacão a corrosão.. na minha placa algumas ilhas não ficaram totalmente corroidas, não ficaram 100% , ficaram cm ulguma falhar, ou seja que dizer que essa placa não prestou? mais as trilhas siim ficaram tudo ok.. sera se quando eu for começar a soldar vai haver algum problema devido a essas falhas nas ilhas..?

    espero resposta mu povo \\õ

    abraço

    [Responder]

  52. antonio disse:

    ola amigo eu gostaria de saber se depos de aplicar o emusão na placa e depos de grava e retirado emusão antes de coloca no percloreto ou coloca no percloreto direto? obrigado!

    [Responder]

    wesley tiago Resposta:

    e bom deixa seca um pouco no sol pra fica mais resistente o percloreto nao ataca a emulsao se preferir
    usa tinta uv ja tem facil no mercado.

    [Responder]

  53. Maxzi disse:

    Desculpe, mas teve uma parte que me ficou uma duvida, como é feita a corrosao das placas, pelo que vi não esta especificado o processo.
    Obrigado

    [Responder]

    jose Resposta:

    Mergulhe a placa em uma solução de percloreto de ferro, que irá corroer o cobre exposto.

    [Responder]

  54. Rubens disse:

    Parabens. O resultado fica muito bom mesmo. Obrigado por compartilhar sua experiencia!

    [Responder]

  55. Fernando Julião disse:

    Já tinha consultado outros métodos de confecção de PCI caseira, mas este trabalho me chamou a atenção pela qualidade das trilhas traçadas nas placas, e assim que fizer o meu próximo circuito, não vou usar mais a famosa “canetinha preta” vou experimentar esse método.

    [Responder]

  56. Douglas disse:

    Qual programa vc usou para desenhar a placa ?
    Grato.

    [Responder]

    valdir Resposta:

    Pode utilizar o Eagle 6.

    [Responder]

    Douglas Resposta:

    Eu estou utilizando o Proteus, você acha q esse é um bom programa ?

    [Responder]

    Ricardo Resposta:

    Olá amigos! No Eagle 6, como fizeram a impressão do negativo? Não acho essa opção em lugar nenhum. Abraços.

  57. Luiz disse:

    Eu achei muito interessante exta experiência pelo fato de poder usar cola tenaz e revelação no sol e também dá pra fazer arte como vc fêz com a foto das crianças com o cachorro, ficou um efeito bem legal. Vou tentar fazer pra ver como fica. Abraço.

    [Responder]

  58. valdir disse:

    Com cola tenaz use duas gotas de sensibilizante… Faltou especificar a quantidade de cola!

    [Responder]

    zito Resposta:

    ola amigo sou de londrina pr fiquei muito interessado em praticar sua técnica, mais gostaria de saber qual é a quantidade de cola tenaz que devo misturar com as duas gotas de sensibilizantes, agradeceria muito sua atenção….

    [Responder]

    wil Resposta:

    Amigo a “”‘cola tenaz”” que ele especifica, e o “”tubo vazio da cola”” e não que dizer que vá cola nesse processo , e sim tubo da cola que servira para medir a quantidade de sensibilizante usado .
    te mais wil

    [Responder]

    wil Resposta:

    Amigo desculpe nao tinha entendido direito o relatorio dele a cola tenaz parece que tmb da nesse processo so que ele nao especifica a quantidade, no caso utilize a mesma quantidade de cola igual a da emulsao .
    .

  59. Alex Andrade disse:

    Parabéns pela técnica!!!
    Fiquei apenas com dúvida do uso da cola. Usando cola não precisa da emulsão, apenas o sensibilizante? Qual a quantidade da cola, a mesma da emulsão?

    [Responder]

    WilsonRS Resposta:

    Isso!Foi o mesmo que entendi.Não testei ainda.Manda ver!!

    [Responder]

  60. thiago disse:

    olá eu gostei muito dessa ideia quais os produtos q eu teria que comprar como esse sensibilizante onde eu encontro e os outros, onde moro nao tem como usar o recurso com a impressora a laser mas tenho uma nornal de tonner vc pode me ajudar onde encontrar os produtos.
    Obrigado!!

    [Responder]

    thiago Resposta:

    eu achei esse produto “sensibilizante http://www.paganoto.com.br/item/269/sensibilizante-100ml/66/serigrafia-sensibilizante/” seria esse produto e qual tipo de loja eu acharia

    [Responder]

  61. anderson disse:

    a quantidade de cola e a mesma que se fosse usar a emulsao 3ml de cola para cada 5 gotas de sensibilizante ok abraços

    [Responder]

    WilsonRS Resposta:

    a quantidade de cola e a mesma que se fosse usar a emulsao.Mas somente duas gotas de sensibilizante como diz no texto.

    [Responder]

  62. anderson disse:

    esse processo e feito somente em placa de face simples e nao de dupla face e somente a placa que um lado seja toda de cobre depois do proceso que ele passou segue se essa instrucao pinte as trilas e ilhas com a caneta especial de reprojetora para que a corrosao seja feita abaixo explicando como fazer a corrosao
    Dissolva o percloreto de ferro em água comum na proporção de 1 : 2,5
    (por exemplo:400g de percloreto para 1 litro de água. Use somente recipiente de plástico ou vidro.)
    ATENÇÃO: a)Sempre colocar o percloreto na água e nunca a água no percloreto.
    b)Dissolva o percloreto de ferro em água fria e para acelerar a corrosão da placa podemos aquecer a solução nova que foi preparada.
    c)Nunca dissolva o percloreto de ferro diretamente em água aquecida,pois haverá uma reação química violenta,com riscos de graves queimaduras no operador.
    Leia com atenção as instruções para preparação da solução ácida que são fornecidas pelo fabricante do percloreto de ferro.
    Feita a corrosão retira-se a placa(cuidado para não se sujar,pois a solução de percloreto de ferro deixa manchas que não saem) , lave-a com água limpa,enxugue-a e remova a tinta com acetona , benzina ou bombril.
    A placa está pronta para furação,que poderá ser feita com um furador manual ou uma furadeira elétrica com broca adequada.

    [Responder]

  63. Carlos Ventura disse:

    Caro amigo trabalho com o programa Ares 7.8 e não sei como imprimir o layout na forma invertida ou seja a trilha em branco e o fundo em preto na transparencia para poder fazer a revelação na placa.A impressora que utilizo é HP 970 Cxi.Obrigado pela atenção

    [Responder]

  64. Felipe disse:

    Boa noite!
    Estou tentando reproduzir seu método e adquiri os produtos. Porém, tive uma dúvida em algumas das etapas:
    1) A mistura da emulsão com o sensibilizador deve ficar como? Mais pastosa? Ou mais líquida?
    2) A cola tenaz substituiria a emulsão, correto? Logo, a emulsão deve ser de base vinílica e não a base d’água, correto?
    3) Depois de aplicar a mistura na placa você diz para secar a placa. Isso quer dizer que a mistura vai se fixar na placa? Ficar “plastificada”?
    4) A transparência deve ser aplicada em cima da mistura já seca? Quer dizer então que depois de seca, quando aplicada luz sob essa camada, ela ainda sofre alguma alteração?
    5) Depois de sobreposta a transparência, o que é mais importante: calor ou intensidade luminosa?

    Bom, desculpe pela enxurrada de perguntas assim, do nada hehe

    Agradeço pelo otimo tutorial e antecipadamente pelas dúvidas.

    [Responder]

  65. Antonio disse:

    Gostei muito do Tutorial..
    agora restou uma duvida, depois de feita a placa como voce reproduziu a imagem conectou ela a algo ?

    [Responder]

  66. Boa Tarde!!!
    Achei super interessante, esse processo de placas de circuito impresso.Porém gostaria de saber em sua região, alguém que queira vender placas de circuito impresso sucateada ou fibras, tenho grande interesse em adquirir esse resíduo. Segue meu email para contato, compro quantidade grandes ou pequenas, de pessoas físicas ou jurídicas. Me liguem

    Att
    Andrea Pereira

    [Responder]

  67. neto disse:

    Boa noite amigo. Parabéns por esse método maravilhoso. Eu poderia usar esse metodo com a impresão a laser daria certo.

    [Responder]

  68. neto disse:

    pode ser tinda de tecido.amigo

    [Responder]

  69. alex disse:

    Felipe a tinta deve ser a emulsão a base de água, pra vc poder retirar com água depois, a vinilica não sai nem com alcool ou tiner.

    [Responder]

  70. alex disse:

    Bom, testei duas emulsões de serigrafia, a resistênte a água e a emulsão tipo solvente e em nenhuma obtive sucesso.

    Primeiro, que nenhuma das duas se dissolvem na água.

    Mas depois de muito procurar eu achei um site interessante, pois nenhum tutorial explica com exatidão qual foi a tinta milagrosa utilizada.

    Segue abaixo o link da FASTPCB, vou comprar o kit daqui a pouco e depois retorno com as novidades.

    http://www.youtube.com/watch?v=J7T1cDK0oGY&feature=player_embedded

    http://www.fastpcb.com.br/forum/index.php

    [Responder]

  71. Esta técnica funciona bem com trilhas que estejam muito próximas?

    [Responder]

  72. Edivaldo disse:

    Alex, a emulsão junta com o sensibilizante. Depois que você expõe a luz; ela fica resistente a água e a parte que não recebeu luz, ela depois de molhada ela se derrete. É o caso do fotolito a parte preta não passa luz e a transparente passa.

    [Responder]

  73. leon disse:

    Fantastica essa sua técnica, gostei muito, PARA OS DESATENTOS, O TÓPICO é para transferencia do circuito na PCB, realmente é muito dificil a transferencia de trilhas finas e proximas sem estas se unirem, irei fazer minhas proximas placas com essa sua técnica, só que usarei laser gostei muito de como ficaram as laterais das trilhas, realmente bem limpas e retas e muito finas e proximas…
    muito obrigado e parabens, e que deus te abençoe

    [Responder]

  74. Filogônio disse:

    Excelente sua dica. Usei com emulsão e sensibilizantes comprados em loja de silk screen, deixei por 12 minutos a 30 cm, em exposição em uma lampada branca de 20W no banheiro (nem a lâmpada eu comprei), e o resultado foi fantástico. Vejo que perdi muito tempo tentando o método de transferencia a calor pela falta de material apropriado (glossy, photopaper, etc) que são dificeis de conseguir.

    [Responder]

  75. Filogônio disse:

    Só pra complementar meu depoimento. Aos novatos e curiosos como eu.
    A emulsão verde é o mesmo material da cola branca, porém com adição de corante. Percebi isto pelo cheiro do produto.
    A vantagem de usar a emulsão ao invéz da cola branca pura é que na aplicação desta, dá pra ver onde está com pouco amterial e onde está em excesso, e na hora de lavar, as trilhas mantém a cor verde, o que ajuda a corrigir possiveis falhas pois a cola branca pura depois de seca fica incolor e transparente o que dificulta um pouco a avaliação do resultado, fiz o teste com cola branca também, funcionou perfeitamente mas com esses detalhes.
    Aqui em Curitiba a emulsão custou R$ 24 (um litro) e o sensibilizante R$ 4 ( 100 ml ). Tudo compensou. Mais uma vez, grato pela dica, valeu !

    [Responder]

  76. MARCAO disse:

    AMIGO FARIA PARA MIM UMA PLACA DE CIRCUITO.

    [Responder]

    Juliano Silva Resposta:

    Oi Marcão, entre em contato comigo, eu comercializo confecções de circuitos impressos, você ja ter a arte final ?
    lojaveronicaejuliano@hotmail.com

    [Responder]

  77. julio disse:

    Olá a todos.
    Parabens pelo tutorial!! muito detalhado ( nas fotos e explicacao) Fiz a placa e deu certinho. Acabamento impecavel por este processo!!
    Aproveito e passo o jeito que fiz ate entao, fico bom tambem e é ate mais facil pra quem esta começando.
    imprima as trilhas em papel glossy (fotografico) para laser em impressora laser… com o lado impresso diretamente na placa passe o ferro no papel ( certifique-se de que passou por cima de todoas as trilhas…) nao exagerando para nao descolar o cobre por excesso de calor. depois disso deixe a placa e papel sob a agua até que o papel se solte da placa sozinho. depois pode fazer a corrosao normalmente. a qualidade fica muito boa e é facil de fazer. abraço a todos.

    [Responder]

  78. marcos disse:

    vc faria placa para vender ?

    [Responder]

  79. Sandro disse:

    Parabéns pelo tutorial, Leocádio.
    O mundo pertence aos que não tem medo de compartilhar o conhecimento.
    Meus pêsames aos que não respeitam o esforço de quem publicou o material e ficam fazendo críticas malucas e perguntas idiotas.
    Sem esforço e testes nunca se chegará no resultado desejado.
    Se querem que seja fácil, paguem e mandem fabricar a placa.
    Abraços e boas PCB´s a todos.

    [Responder]

  80. anisio pereira disse:

    colegas

    eu já estou conseguindo fazer a placa porém ainda não estou conseguindo corroer no acido a impressão está saindo da placa.

    Onde será que estou errando?
    estou seguindo todos os passos aconselhados no artigo.

    [Responder]

    sandro Resposta:

    Olha Anisio, comigo isso também já aconteceu. Provavelmente o tempo de exposição não foi o suficiente. O que voce pode fazer é, depois de ter exposto a placa e ter retirado a emulsao com o rolinho, passar sensibilizante puro na placa e deixar ela expota a luz de 500watts a uns 15 cm distancia. As trilhas vao ficar mais escuras e fortes. Porem, o sensibilizante tambem vai ficar entre elas, o que pode ser removido com um bombril para que o ácido nao deixe de corroer esses espaços.

    [Responder]

  81. Primeiro Obrigado. Me animou a fazer o que eu levei a vida toda querendo fazer, uma placa pelo processo de foto impressão. E eu ainda nem começei.

    Gosto de pesquisar antes de realizar e pesquisando encontrei um colega nosso que transformou um desses rolinho de pintura de espuma em um rolo para passar a emulsão, simplesmente substituiu a espuma por EVA. Tirando a espuma colando o EVA no lugar.

    Era um vídeo no youtube e eu não sei se alguém mais já fez assim. Você já tentou fazer assim?

    [Responder]

  82. Vinicius disse:

    Amigo essa lampada halógena pode ser substituida por uma lampada UV aquelas tipo lampada fluorescente roxa?

    [Responder]

  83. Obede disse:

    Boa noite, tenho uma duvida, mas antes quero agradece e dizer que foium tutorial bem posto e vc teve cuidados em
    remover duvidas atravez na iliminação de erros.

    minha duvida é quanto, a colocão da blaca no blecoreto de sódio,(acido), eu não entendi essa parte, eu já desenhei muitos projeto com a caneta retro projetor, mas nesse metodo não.

    Quando termina de gravar o projeto, lava a placa, mas não vai remover toda a emução, se fizer o acido, não vai corroe não entendi, por favor de me uma ajuda.

    [Responder]

  84. Obede disse:

    Na sua excelência, foi coerente nos termos citado colocando sua experiência assim que teve exito, e confirmo ser um excelente tutorial.

    Minha duvida, pois já fiz projetos, e da pior forma possível, pois eu pego sercuito eletrico, e passop/ sircuito em placa, e se não tomar muito cuidado, até no mode de inverter lo pode term problemas graves.

    o pior é que sempre fiz, com caneta para circuto , resistente ao plecoreto. e fazer trilha por trilha, imagine o trapalho até este tutorial.

    A minha duvida é depois de gravada e lavada, não vai sair toda a emução ou( COLA TENAZ PVC, COM SENSIBILIZANTE) antes de colocar no acido. pois estava pensando, a lavagem é para tirar a emução onde foi gravada, num dos passo acima, mostra a lavagem da placa antes de ir ao plecoreto, e mostra a parte cobreada. dai minha duvida, eu pensei, tem que passar toda a caneta pelas trilha ou, É isto
    por favor. é só isto,

    Que quizer saber e ou vou passar aqui se posso aqui a tecnica de criar do sircuito eletrico, para placa posso fazer ou paso para o amigo aqui ele monta o tutodial.

    De mais obrigado. Obede Rodrigues

    [Responder]

  85. JOSÉ RONALDO VIEIRA disse:

    Bom dia, Sou Técnico em Eletronica, faço restauração de equipamentos de som (antigo) e gostaria de saber se por ventura, voces não fazem placas de circuito impresso, tendo em vista que necessito de algumas, pois não sei fazer nem projetos. Tenho as placas originais precisava fazer cópias. estou disposto a pagar o que for necessáio. Obrigado.

    [Responder]

  86. jane disse:

    olá quais os passos para passar a gravura
    ela tem durabilidade no exterior sol e chuva

    [Responder]

  87. JEFFERSON disse:

    Gostaria de saber se é possivel usar o acido muriatico+agua oxigenada para corroer ou esta solução e prejudicial para a emulsão

    [Responder]

  88. Alex disse:

    Boa tarde. Desculpe-me por postar um comentário que nada tem a ver com o tópico, mas pelo que li você entende muito de circuito impresso e acredito que conseguirá me ajudar. Os botões do meu BleckBerry estavão caindo e eu tive a “brilhante” idéia de colá-los com super bonder. Resultado: A cola escorreu para o circuito impresso e o teclado parou de funcionar. Levei a uma assistência técnica e me informaram que será necessário trocar a placa-mãe, pois a cola afetou as trilhas. Você tem alguma ideia de como eu posso fazer para retirar a cola sem danificar a placa? As vezes os botões voltam a acender, mas não digitam nada, talvez seja o indicativo que o problema tem solução. Já me indicaram esquentar a placa, mas isso provavelmente vai derreter a mesma. Desde já agradeço a atenção e parabéns pelo tópico.

    [Responder]

  89. Henrique disse:

    Olá,

    Ontem utilizei este método para confeccionar PCBs e de primeira deu certo! Gostei muito. Segue o que eu fiz:
    – Refletor de jardim de 500W a +/- 35cm da placa
    – Preparei com 2 seringas a razão de 1ml de sensibilizante e 9 ml de emulsão.
    – Usei a emulsão Genesis Verde (Emulsão R$34,00 e sensibilizante R$6,00)
    – Misturei no fundo de um copo descartável usando um bastão de silicone
    – Apliquei com um pincel tigre para metais de 12mm uma boa camada
    – Bati a placa na mesa em várias direções para espalhar a emulsão de forma mais uniforme
    – Deixei secando com um cooler de PC fazendo a ventilação. Demorou uns 40min para secar legal. Esperei ficar fosco.
    – Coloquei a placa com as transparencias entre 2 vidros e liguei o refletor por 3min
    – Depois que desliguei a lampada mergulhei imediatamente a placa na bacia com água e, com um rolinho de espuma para metais da tigre, com calma fui revelando o desenho. +/- 2min.
    – Quando o desenho estava todo revelado e sem residuos, expus por mais 15minutos sob o refletor, mas sem nada em cima da placa e sem alterar a altura do refletor.
    – QUando terminei as trilhas estavam bem firmes. Coloquei a placa no percloreto e pronto. Ficou perfeita.

    O que achei legal é que nunca tinha feito nada parecido e consegui acertar de primeira.

    Muito obrigado!

    Um abraço
    -

    [Responder]

  90. Ricardo disse:

    Olá, é um excelente tutorial, meu material acabou chegar, não vejo a hora de fazer minhas plaquinhas, já tinha feito com papel carbono e caneta, mas o acabamento não fica perfeito e é difícil fazer trilhas de fina espessura.

    [Responder]

  91. Thiago disse:

    Olá, depois de ler seu post, resolvi tentar fazer a placa por esse método, uma vez que preciso desenvolver projetos mais complexos e pela transf. térmica de toner, não consigo os resultados necessários. Comprei o material, e quando vim re-ler o tópico, descobri que comprei a emulsão diferente. A minha é da cor roxa (violeta), e pela consulta ao site (comprei do mesmo fabricante que você utilizou) elas tem propriedades diferentes, então e pergunta é: será que essa roxa serve???

    Muito obrigado, e parabéns pela excelente explicação. Muito bem detalhada.

    [Responder]

  92. thiago santos disse:

    as trilhas finas e próximas são dificeis de fazer devido ao fato de o layout não projetar uma sombra perfeita. na verdade, devido ao refletor não ser polido, o que fica à sua frente não gera sombra.

    [Responder]

  93. Carla disse:

    Somente para confirmar, após a revelação, ainda é necessário corroer a placa com percloreto de ferro??

    [Responder]

  94. Lucas disse:

    eu tenho um layout, queria transferir para uma placa, quero saber quanto custaria, qual as formas de pagamento?

    [Responder]

    Gustavo José Moretti Resposta:

    Caro Lucas,
    Não fazemos este trabalho. Apenas disponibilizamos este tutorial.

    [Responder]

  95. Prezados,
    fizemos o teste na forma que está descrito acima e funciona perfeitamente, usamos apenas um refletor de 150 e as trilhas ficam perfeitas.

    [Responder]

  96. Weton disse:

    Boa Tarde!

    Como fazer para deixar as placas de PCI “coloridas” após a corrosão, semelhante as que encontramos nos equipamentos?

    [Responder]

  97. leomastersxd disse:

    Ficou bem legal e achei bem interessante para um projeto médio/grande mas para um projeto pequeno simplesmente não vale o esforço, só se tiver que ficar muito bem de aparencia ou você goste mesmo de fazer, pois construir em uma placa de circuitos(prototyiping board) ligada por estanho fica também bem feita e faz exatamente a mesma coisa, apesar de ficar mais feia com a vantagem de ser mais facil* de fazer. *como eu disse antes em “um projeto pequeno”.

    [Responder]

  98. Só mais uma sugestão para enriquecer, que funciona também em outros métodos: ao invés de deixar a placa super lisa ou extremamente lustrosa, passe uma lixa fina (lixa d’água) em dois sentidos apenas. Isso cria microsulcos/linhas na placa e ajuda na aderência do material sensibilizante.

    [Responder]

  99. como voce consegue o documento original para gerar o fotolito?

    [Responder]

  100. marcio disse:

    eu já sofrei de mais
    mais hoje tem uma tinta que já vem preparada essa funciona é a tinta filme para circuito impresso

    [Responder]

  101. alvaro disse:

    Olá,

    Gostaria de saber como você faz a corrosão da placa, se é com o perclorato de ferro mesmo? e se esquenta água para acelerar o processo? ontem fiz isso e a emulsão derreteu, corroendo todo o cobre.

    [Responder]

Deixe seu Comentário